Quais são os 5 R's da sustentabilidade e consumo consciente?


Sustentabilidade e consumo consciente deixou de ser assunto para "ecochatos" já faz algum tempo.

Também pudera, com tantos desastres naturais e mudanças climáticas acontecendo fica cada vez mais complicado simplesmente ignorar o tema e seguir em negação.

Os últimos meses foram marcados por terríveis tragédias no Brasil. Além do caso Brumadinho, tivemos uma série de incêncios, deslizamentos e alagamentos.

O hemisfério norte vivenciou o inverno mais rigoroso da história, com pessoas morrendo de frioderretimento das geleiras na Antártida e Groelândia.

Verdade seja dita, a humanidade se tornou um grande peso para o planeta Terra.

O que fazer diante disso? Continuar de braços cruzados não é uma opção.

Hoje você vai conhecer os cinco pilares para curar nosso meio ambiente. Então pega um café e vem comigo descobrir quais são os 5 R's da sustentabilidade e consumo consciente:

1. REPENSAR: Nossos hábitos têm impacto

Parar por um momento e repensar os próprios hábitos é o primeiro passo para se tornar um consumidor mais consciente.

Comportamentos como excesso de compras, separação e descarte do lixo para reciclagem, reaproveitar os alimentos e bens de consumo... Que atitudes você já toma ou pode repensar?

A resposta pode estar em pequenas atitudes diárias, que mesmo parecendo sem importância, têm um grande impacto no ciclo de vida dos produtos que chegam até você.

O ciclo de vida de um produto vai da escolha e extração da matéria-prima até o seu descarte. Envolvendo consumo de energia e água, emissão de carbono, condições de trabalho na cadeia produtiva e métodos de distribuição.

Pensar verde para reconstruir o amanhã

2. RECUSAR: Decisões mais conscientes

O consumidor é quem tem o poder de decisão. É responsabilidade de cada um recusar empresas que não estão comprometidas com a sociedade e meio ambiente.

Para isso é importante pesquisar sobre as marcas que você admira e consome, buscando mais informações sobre o envolvimento com causas sociais e ambientais.

A empresa testa em animais? Investe em programas sustentáveis? Qual é o impacto do processo de produção e distribuição dos seus produtos? Eles estão preocupados com isso de alguma forma?

Sem compromentimento, sem resultado

3. REDUZIR: Pequenas atitudes, grandes mudanças

O terceiro pilar da sustentabilidade é sobre reduzir o consumo. Não se resume apenas a evitar excesso de compras, mas também em reduzir o impacto de cada compra.

Investir em produtos de maior qualidade e durabilidade é uma excelente forma de reduzir, pois mesmo custando um pouco mais caro, vai levar mais tempo até precisar substituir.

Outro ponto chave é estar atento às embalagens. É estratégia de marketing investir numa super embalagem para agregar valor a produtos que não valem o preço.

Para exemplificar isso, cito como exemplo o fenômeno da insdústria infantil, as Lol Surprise. Uma boneca surpresa com acessórios (peças minúsculas) que vêm numa cápsula para abrir em 7 etapas, tudo embalado um a um... (Só eu acho isso um absurdo, gente?)

Nem sempre conseguimos fugir disso, mas convém frear os exageros e fazer escolhas mais racionais. Optar por embalagens retornáveis, refis e comprar a granel, sempre que possível.

Existem muitas atitudes simples que fazem toda diferença, como poupar energia elétrica, usar canecas no lugar de copos plásticos, imprimir frente e verso do papel e até mesmo trocar livros e roupas entre amigos e familiares.

Lol Surprise: Muita embalagem para pouca surpresa

4. REAPROVEITAR: Ciclo de vida expandido

Reutilizar é ampliar o ciclo de vida dos produtos, evitando o desperdício. Daí a importância de dar utilidade e tirar o melhor proveito das coisas que você consome.

Muitas pessoas já fazem isso (e é uma ótima ideia) ao usar potes de sorvete para guardar sobras de comida, ou reaproveitar vidros de molhos e conservas para armazenar grãos, cereais e temperos.

O limite é o da sua imaginação. Na internet é possível encontrar diversas ideias de reutilização e peças artesanais produzidas a partir de embalagens, cds, plásticos, metais, papéis e outros materiais.

Neste pilar também entra como reaproveitar melhor os alimentos. Usar talos e folhas dos legumes, reciclar sobras de comida, usar resíduos orgânicos para fazer compostagem, congelar porções de comida para evitar que estrague na geladeira são algumas formas de evitar o desperdício.

Reaproveitamento na decoração

5. RECICLAR: Descarte consciente do lixo

O último pilar também é um dos mais importantes. Chegou a hora de saber como você descarta o próprio lixo. Na sua casa é feita a separação e descarte adequado dos resíduos?

Mesmo em regiões que não dispõe de coleta seletiva, existem muitas pessoas trabalhando como catadores de lixo e gerando renda familiar a partir da venda de lixo seco, como latinhas de alumínio e garrafas PET.

Estas pessoas, que muitas vezes vivem sem as mínimas condições de higiene e saneamento básico, são as mais afetadas pelo descarte incorreto do lixo. Acidentes que podem ir de cortes por cacos de vidro à contaminação por bactérias e metais pesados.

Reciclar resíduos orgânicos é outra ideia que está bem em alta. Se você tem horta ou jardim em casa e quiser aproveitar um espaço para fazer compostagem do lixo orgânico, existe uma variedade de materiais e cursos ensinando o passo a passo.

Para qualquer situação, separar o lixo seco do lixo comum é uma aitude básica que deve ser exercitada por todo cidadão.

Confira no gráfico abaixo como descartar o lixo seco nas respectivas lixeiras e fique atento ao resíduos que não podem ser reciclados. Tudo que não pode ser reciclado deve ser descartado no lixo comum:
[clique para ampliar]
Atenção aos Resíduos Perigosos

É importante estar atento ao descarte de resíduos tóxicos ou inflamáveis. Com alto índice de contaminação, eles devem ser descartados em postos de coleta específicos. Atualmente muitos supermercados, farmácias e hospitais já dispõe de totens e urnas para descarte desses lixos:

» Restos de tinta;
» Produtos químicos;
» Lâmpadas fluorescentes;
» Termômetros de Mercúrio;
» Pilhas e baterias;
» Blister de remédios;
» Material Hospitalar (seringas, agulhas, gazes, medicamentos vencidos)

Fontes:
Educação Ambiental e os 5 R's | Brasil Escola
Os 5 R's da sustentabilidade em pról do consumo responsável | Finanças Práticas
Risco ocupacional para catadores de lixo reciclavel | Marcelo Pustiglione
O que são resíduos perigosos | Meu Resíduo Blog

Preparado para aplicar os 5 R's da sustentabilidade e abraçar o consumo consciente?


Leia também:
Upcycling: a tendência de moda que vai bombar em 2019

Comentários